5 tendências de mídia digital para aproveitar em 2020

Planejamento estratégico de mídiafevereiro 19, 202010 Minutes

O mercado publicitário está em constante evolução e para desenvolver estratégias mais consistentes, é fundamental se manter por dentro das principais tendências de mídia digital. Neste artigo iremos explorar as principais tendências do setor para 2020 e como aproveitá-las.  

Em 2019, 33% dos investimentos feitos em publicidade foram direcionados para mídia digital. Nos EUA e no Canadá os investimentos em digital foram ainda maiores: EUA (49%) e Canadá (55%). A expectativa para 2020 é que os investimentos em digital aumentem ainda mais, na medida em que anunciantes passem a explorar novos caminhos para encontrar potenciais consumidores.

Para isso, entender como agregar diferentes mídias, dispositivos e estratégias é essencial para estar sempre sincronizado com o mercado. Confira 5 tendências de mídia para 2020 e como se preparar para estar à frente delas.

1) Omnichannel: uma jornada rumo a experiência

A jornada omnichannel surgiu como uma resposta direta ao comportamento do consumidor, que tem utilizado dispositivos para diferentes propósitos e atividades durante o dia a dia.

Segundo a pesquisa Forrester, o omnichannel é “a prática de sequenciar digitalmente a publicidade nos canais mais relevantes e consistentes com o estágio do cliente”. Ou seja, os anunciantes podem integrar e otimizar a comunicação com o público-alvo em ambientes online e offline através de diferentes pontos de contato como o Desktop, Mobile, TV e OOH (Out of Home).

Para aproveitar essa tendência, a programática é o melhor caminho. Além de permitir a utilização de dados para adaptar a entrega de anúncios ao comportamento dinâmico do cliente, também é possível simplificar o processo de compra e identificar o ROI de cada ponte de contato utilizado na estratégia da marca.

2) Personalização de mensagens (em escala!)

Atingir potenciais clientes de forma estratégica e personalizada é importante para qualquer negócio. Segundo a pesquisa SmarterHQ, 72% dos consumidores só interagem com uma mensagem se ela for personalizada de acordo com os seus interesses. Ou seja, não estamos mais em tempo de usar um único banner para falar com uma audiência.

A mídia programática não está fora dessa tendência de mídia. A premissa básica da programática é a “compra de audiências ao invés de canais”, isso significa que com o uso dos dados disponíveis para a segmentação é possível entregar os anúncios de acordo com a relevância do tema para o usuário.

Um dos principais benefícios para os anunciantes está na entrega em escala e de forma automatizada. Esse é um fator fundamental para que as marcas possam ganhar eficiência no processo de veiculação, diversificar a comunicação com a audiência e mensurar quais mensagens estão sendo mais efetivas durante a campanha.

3) Dispositivos móveis na jornada de compra

Com a evolução das plataformas digitais e a facilidade em consumir conteúdos em smartphones, o dispositivos móveis tem ganhado cada vez mais destaque dentro do cenário da publicidade digital.

51% dos consumidores dizem que usam dispositivos móveis para descobrir novas marcas e produtos (BrightEdge).

Para os anunciantes, é importante entender essa mudança de comportamento para adaptar as estratégias de publicidade digital inclusive nos dispositivos móveis.

Alexandre Grynberg, Conselheiro do IAB Brasil e Diretor de Soluções Integradas do Grupo Globo, trouxe um pensamento interessante sobre os benefícios de explorar o mobile nas estratégias de mídia, ele afirma “Segmentação por geolocalização, hábitos de consumo de conteúdo e o poder de alcançar o usuário em todos os momentos do dia, são algumas das possibilidades para se criar estratégias únicas no mobile e/ou combiná-las com mais meios, sejam eles on ou offline.”

Ou seja, com o mobile representando uma parte significativa da experiência de compra, navegação e entretenimento dos consumidores, é preciso pensar em estratégias com o objetivo de oferecer uma experiência melhor para os usuários enquanto eles estão navegando em seus smartphones.

O potencial das redes sociais e aplicativos para dispositivos móveis pode ser explorado em campanhas publicitárias em diversos formatos e para diversos canais como aplicativos de jogos, redes sociais, streaming de música e vídeos, entre outros.

4) Ascensão dos anúncios em áudio no Brasil

A ascensão do consumo do áudio digital em plataformas de streaming de músicas, podcasts, games e rádios online, trouxeram novas oportunidades para os anunciantes aumentarem o seu alcance e engajamento em diferentes dispositivos.

Em uma pesquisa produzida pela Midroll para IAB, 67% dos entrevistados conseguiam citar um produto ou uma promoção que haviam ouvido em um podcast, enquanto 61% afirmaram que já tinham adquirido um produto ou serviço conhecido por meio de uma propaganda em podcast.

No Brasil, o consumo de podcasts tem crescido cada vez mais, 55% dos usuários escutam pelo menos um podcast por mês, segundo a Opinion Box.

Para os anunciantes, o ponto de destaque é que as campanhas em áudio podem ser veiculadas de forma programática em plataformas como Spotify e Deezer, ou seja, é possível automatizar o processo de compra e aproveitar os dados disponíveis para a entrega de anúncios de forma segmentada.

Mas, fique ligado! Segundo pesquisas recentes, 63% dos anunciantes pretendem aumentar os seus gastos em publicidade em podcasts nos próximos 12 meses. Este é o momento para começar a elaborar a sua estratégia de áudio digital!

5) Novas fronteiras para os anúncios em vídeo

No artigo sobre estatísticas do vídeo marketing, nós abordamos os principais motivos para adotar uma estratégia de anúncios em vídeo. Mas claro, que ela não poderia faltar no ranking das tendências de mídia para 2020.

Segundo pesquisas 83% das empresas viram um aumento de conversão através do conteúdo em vídeo. Ou seja, as marcas têm um incentivo maior do que nunca para alcançar usuários com conteúdo imersivo e personalizado.

Com o conteúdo de vídeo sendo consumido na Web, em smartphones e em outros dispositivos conectados, se engana quem pensa os formatos in-stream e out-stream são a única maneira de aproveitar o vídeo nas estratégias de mídia.

A compra de espaços na TV via programática também vem ganhando destaque por simplificar a compra e entrega de anúncios. Logo, os anunciantes que já possuem uma estratégia de anúncios em vídeo focada nos dispositivos Desktop e Mobile, também podem apostar em outras estratégias como a veiculação de anúncios em TV.

Com todas essas mudanças, a programática tem o papel de garantir que os profissionais de marketing tirem o melhor proveito de todas as tendências de mídia que surgem no mercado.

Agora você já conhece as principais tendências de mídia programática para 2020, quer aprender mais? Acesse outros conteúdos no blog da Publya e não deixe de acompanhar nas redes sociais!